Azulejo Português – Uma história de sucesso

A palavra azulejo vem do árabe azzelij, que significa pequena pedra polida, uma arte que foi trazida pelos árabes para a Península Ibérica e que se propagou por toda a europa.

Os padrões geométricos trazidos pelos azulejos árabes deslumbraram os portugueses, os primeiros exemplares usados em Portugal chegaram nos finais do século XV, trazidos para revestir paredes de palácios e igrejas.

Palácio Nacional de Sintra

Em Itália, no final do século XVI, houve um grande desenvolvimento da técnica da cerâmica, que permitiu a pintura diretamente sobre o azulejo, essa técnica foi trazida para Lisboa e surgiram as primeiras oficinas de olaria.

Começam a ser produzidos painéis para igrejas, conventos, palácios, solares e jardins. Surgem grandes composições cenográficas, característica marcante do barroco, com motivos  geométricos, temáticas figurativas e vegetalistas de uma fauna e flora exóticas, com  inspiração nas artes decorativas, dos têxteis, da ourivesaria, das gravuras e das viagens dos portugueses ao oriente.

Palácio Marquês da Fronteira – Lisboa

Após o terramoto de 1755, a velocidade da reconstrução de Lisboa determinou a utilização de meios industriais para a produção de azulejos em série. Surgem os azulejos padrão, designados pombalinos, usados na decoração dos novos edifícios.

Padrão pombalino

A partir do século XIX, o azulejo ganha mais visibilidade, sai dos palácios e das igrejas para as fachadas dos edifícios, numa estreita relação com a arquitetura. A produção é intensa e são criadas novas fábricas em Lisboa, Porto e Aveiro.

Azulejo de fachada de edifício – Lisboa

Mais tarde, já no seculo XX, o azulejo surge nas estações de caminho de ferro e metro. A tradição torna-se ainda mais popular, apresentando-se como solução decorativa em habitações, espaços comerciais e outros.

Painel de azulejos – Lisboa, de Carlos Botelho 1957

O azulejo continuam a fascinar os portugueses e o resto do mundo, são inspiração para grandes marcas nacionais e internacionais de vestuário e acessórios de moda.

 

 

 

 

 

 

moda/tendências

A marca Fankikas também não ficou indiferente a esta arte, criou a coleção Joias de Portugal, com inspiração na cultura portuguesa, apresentando peças com padrões de azulejo e outros ícones da história portuguesa. Esta coleção apresenta peças contemporâneas para o dia-a-dia, que combinam a tradição com a modernidade.

 

 

 

ver loja online

 

Referências:

Museu nacional Azulejo. Disponível em:
<http://redeazulejo.fl.ul.pt/timeline/timeline-pt.html>. Acesso em: 21 de fev. 2017

Ensina RTP. Disponível em:

<http://ensina.rtp.pt/artigo/uma-breve-historia-da-azulejaria-portuguesa/>.  Acesso em: 21 de fev. 2017

Vânia Rocha

4 Comments

  1. Azulejos que os governantes portugueses estão a deixar cair ao chão… é uma pena… pelo menos ficam na história contemplados através do design de moda e joalharia e não só.

    As peças da tua coleção são fantásticas! ♥

    Beijinhos
    Cris

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *